sexta-feira, 4 de maio de 2012

Inalcançável Você




Inalcançável Você


É por te admirar demais
Que adentro despido ao labirinto,
Sem luz,
A esmo na escuridão
Onde nem mesmo o medo se encontra.
Como um rato desnorteado, longe de qualquer sentido,
Que tem por queijo Teu querer
E nem percebe o que cai pelo caminho.

Não sei se é pela falta dos pedaços
Ou sequer se tais ausências fazem falta;
Sei
Que me perco no desejo de acertar,
Esquecendo o que há de belo em mim,
E teimo seguir onde do Sentir
Existe apenas um quase;
Um quase beijo,
Um quase toque,
Um quase abraço...
Restos de Alma mutilada
Esvaindo-se numa quase paixão
E suas quase saudades...

Errei ao tentar te amar
Sem me amar também ao mesmo tempo
E assim criei o inalcançável Você,
Com o Medo que devora
O que há de Eu em Mim.

Desculpe-me por sabotar
Todo esse nós
Que nem ao menos chegou a ser,
Mas não posso evitar
O que ainda desconheço
Aqui.


Sono the Idle, 03/05/2012.


P.s.:Não sei se um texto concluído...

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir