terça-feira, 17 de abril de 2012

Velhos ciclos de experimentações.




Aquele tal Ocaso

É justamente nem saber
o que se espera,
só para encontrar
a razão de seguir sem fronteira

Viver a vida em fogo,
que sempre nasce, sempre morre, sempre se renova,
na plenitude do desejo
daquele que abandonou doutrina
e não mais teme

Seguir leve seu caminho
ao sabor dos quereres
de um tal acaso.

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir